Dons e talentos

talentosPara descobrir qual é o nosso dom, precisamos pensar naquilo que queríamos ou sonhávamos em ser quando éramos criança. Este é o primeiro ponto a ser considerado. Recordar sobre isto, nos possibilita um contato mais profundo com nossos reais propósitos. Para tanto, podemos recordar: o que gostávamos de brincar ou o que sonhávamos em ser quando crescer? E mais, estou vivendo isto atualmente?

Pode ter certeza de que uma dessas alternativas indicará o nosso dom. Também apontará a nossa missão na Terra, ou seja, o nosso maior talento. Pois todos nós, antes de nascer, traçamos o roteiro da nossa vida. E neste roteiro contém tudo aquilo de que precisamos para o nosso crescimento e evolução. Como na infância nossas memórias estão fresquinhas e sem a interferência das crenças limitantes, ficamos abertos e trazemos para o consciente essas informações. Brincamos disto ou daquilo, sonhamos com tal coisa… Pois são indicativos do que precisamos desenvolver durante a vida.

Então, esta reflexão é muito importante para reconhecermos nosso verdadeiro papel neste plano físico. Entretanto, muitas pessoas não conseguem recordar muito da infância. E sabe por quê? Porque se anularam para a sua missão. Aprenderam que não valia a pena, não ouviram seu coração e por estarem totalmente fora desta realidade, não conseguem lembrar-se do que deixaram destinadas antes de nascer.

Seria bom se pudéssemos ganhar um manual de instrução com tudo o que é importante para evoluirmos neste mundo. Mas a graça de descobrir é poder inventar algo novo para a nossa história. Como eu acredito que nossa vida se desenrola igual a de um personagem de um filme ou de uma novela, ppodemos dizer que os melhores atores são aqueles que fazem mais do que está escrito no seu papel. Não ter a percepção exata do que podemos ou não fazer é a possibilidade de abrir novos caminhos. A lei do esquecimento, que é colocada em nós no nascimento, serve para que possamos escolher o melhor caminho. Como o nosso mundo é feito de escolhas, por que sermos deterministas e convictos?

Precisamos aprender sempre a amar quem nós somos; fazer as coisas por amor e descobrir o que precisamos fazer para desempenhar bem o papel que recebemos.

Às vezes quando pensamos em deixar brotar nossos dons e talentos, parece um fardo pesado. Ou algo impossível de ser realizado. Porém esta ideia geralmente vem das nossas crenças limitantes. Não há nada que possa impedir algo grandioso, quando está alinhado com nossas almas. Enganamo-nos quando tentamos ser quem não somos para agradar os outros.

Então, para mudar esta mentalidade e poder incorporar de vez esta identidade, reflita sobre as perguntas abaixo e se possível, anote as respostas. Não pense, apenas coloque o que vem na sua mente e perceba como você está com relação ao seu dom:

1-      Qual o motivo que lhe faz acordar todos os dias?

2-      Para o que você vive?

3-      Para quem você vive?

4-      O que pretende no seu trabalho?

5-      Qual seu propósito profissional?

6-      Será que estou vivendo?

7-      Será que estou amando verdadeiramente?

8-      Será que alguém se importa ou já se importou com você algum dia?

Compartilhar é vida...Email this to someoneShare on FacebookShare on Google+Tweet about this on Twitter